terça-feira, 5 de novembro de 2013

Sefa: Asconpa convoca candidatos para avaliar possivel ação judicial

A Associação os Concursados do Pará convoca os candidatos que possuem provas de irregularidades ou se sentiram prejudicados durante a realização do Concurso Público C-172, promovido pela Secretaria de Estado da Fazenda, a SEFA, para reunião que poderá definir ação contra o Estado.
A reunião será realizada nesta quinta-feira, dia 7 de novembro, às 16 horas, no auditório do Sintsep, localizado na Travessa Mauriti, 2239, entre Duque de Caxias e Visconde de Inhaúma, em Belém.
As provas do concurso foram realizadas nos dias 28 e 29 de setembro. Entre as vagas ofertadas no concurso, estão 100 para o cargo de Auditor Fiscal de Receitas Estaduais - CAT-AF-01, com salário de R$ 5.772,64 e 100 para Fiscal de Receitas Estaduais - CAT-F-02, com salário de R$ 5.772,64.
O certame foi aplicado simultaneamente nas cidades de Marabá, Redenção, Santarém, Altamira e Belém.
Atualmente, a SEFA tem em seu quadro funcional 330 auditores e 350 fiscais de Tributo. 
Segundo denúncias de candidatos houve várias irregularidades, entre elas a falta de detectores de metal nas entradas dos banheiros. 
Um candidato denuncia que na sala em realizava a prova, no sábado, observou que outro candidato saiu sem preencher o cartão resposta e a mesma pessoa teria voltado no dia seguinte e agido da mesma maneira. 
Antes mesmo da realização do concurso, denúncia enviada para o e-mail da Asconpa, revelou que uma diretora da própria Secretaria da Fazenda teria dado "aulas de reforço” na biblioteca da instituição, para colegas de trabalho.
Ainda segundo alguns denunciantes, a própria escolha da Universidade do Estado do Pará comprometeu a lisura  do certame, pois a instituição organizadora tinha que ser obrigatoriamente de fora do Estado. 
A Universidade sequer têm os cursos de Direito, Contabilidade, Economia e Administração e, portanto, não teria o necessário know-how para organizador o certame, visto que esse tipo de avaliação, de natureza complexa, tem que dispor de profissionais do mercado e estes profissionais podem ter também interesse em participar do certame. 
Após a reunião com os candidatos, a Asconpa fará Representação junto ao Ministério Público do Estado, para que as denúncias sejam apuradas.

21 comentários:

Anônimo disse...

No local em que realizei as provas não percebi nada de suspeito. Quanto ao fato de a banca ser local qual é o problema?No concurso da SEFAZ-MS, por exemplo, que está com o edital aberto nem banca há. O próprio governo possui em sua estrutura uma fundação responsável pelos concursos:http://www.concurso.ms.gov.br/?location=editais. Em relação ao fato de não haver na UEPA curso de direito, economia e etc qual o problema? A ESAF e a FCC não são universidades e realizam concursos em várias áreas. Além do mais ESAF faz parte da estrutura do Ministério da Fazenda e mesmo assim realiza todos os concursos desse ministério.

marivaldoaraujo@yahoo.com.br disse...

Uma coisas e certa, no banheiro qndo entrei , ficou eu e outros candidatos, sem nenhum fiscal observando.

Anônimo disse...

O Ministério Público tem que analisar fatos concretos. Porque nesse concurso há muita gente cheia de suposições, mas nada comprovado. E, claro, pessoas que não atingiram o mínimo fazem o máximo pra prejudicar o certame, em virtude de ser a UEPA a banca examinadora. E, não precisa ser uma banca de outro estado para prestar a prova. Pois se assim fosse, O Cespe só poderia realizar provas em Brasília.

Por favor, quem tiver provas CONCRETAS se manifeste. Caso contrário, deixe o concurso seguir o trâmite natural. Porque falar é fácil, provar nem tanto assim.

Vamos ter consciência. Continuar a vida de concurso pra frente. E parar de especular.



Anônimo disse...

Sugiro que criem um meio alternativo via internet para manifestações, uma vez que vários candidatos são de outro estado, e posteriormente divulguem nos principais site de concursos: forum concurseiro, estratégia e ponto dos concursos, correio web.

Anônimo disse...

Pôxa, que bela iniciativa! Sou do sul do Brasil e infelizmente não tenho condições de comparecer à reunião... Fico orgulhoso com essa atitude da ASCONPA! Espero que os colegas do Pará e das proximidades consigam ir ao encontro e contribuir para que a justiça seja feita!
Obrigado ASCONPA!

Anônimo disse...

Meu amigo é um dos namorados do professor Nadson que elaborou a prova de contabilidade. Ele teve acesso as questões da prova... ele e a torcida do remo, payssandu, tuna,cesupa...

Jefferson disse...

acredito que está reunião pode ficar comprometida, por conta que a maioria dos canditados, acredito, ser fora do Pará sem tempo disponível para comparecer, mas vale a intenção, pois foi uma palhaçada está prova.

Vagner Nogueira disse...

houveram locais de prova com ar-condicionado e outros sem, portanto não houve igualdade de condições entre os candidatos, ainda mais no calor que fez a tarde. outro fator que jogou a igualdade de condições no lixo foi a prova tipo 2 ser da cor rosa (gerando mais cansaço e desconforto em relação a cor branca)

Anônimo disse...

Quanta asneira... Quer dizer que um colega não pode auxiliar outro colega: "Diretora dava aulas de reforço...". Sendo assim, o Borba não pode dar aulas, pois ele faz parte da estrutura da SEFAZ/RJ; Quanto ao fato de ser do estado, o CESPE fez prova da PRF (o DPRF fica em Brasília), a FCC faz as provas da SEFAZ/SP, FGV fez prova da SEFAZ/RJ e etc. Quanto aos locais de prova, já fiz prova pra SEFAZ/RJ em Cascadura, a rua próxima do local de prova estava em obra, tinha um engarrafamento gigante e tive que andar (correr) uns 4 ou 5 km a pé... Tive que fazer a prova sem almoçar! Voltando ao assunto da banca do Estado, pelo que temos visto, a maioria dos aprovados (pelo ranking do FC, que é o que temos até agora) é de fora do Estado. E a banca é uma Universidade Estadual, como a UERJ no RJ, a Unicamp em SP e etc. Está havendo um preconceita sem tamanho... Outra coisa, esta pessoa que alegou o fato de um concurseiro entregando o cartão de resposta em branco, estava bem focado na prova, hein?! Pq eu, que passei, mal tive tempo pra ver a minha prova... A não ser que essa pessoa, que ele alega, seja o próprio... É muito xororô... Em relação ao fato de ficarem vários candidatos no banheiro juntos, acredito que ninguém seria idiota de "colar" ou dar "cola" em uma prova de concurso público, onde todos estão concorrendo entre si. Eu não aceitaria "cola" de um concorrente meu... Pra finalizar, injustiça é quem estudou e passou ser prejudicado por um bando de recalcado que, em vez de seguir em frente, fica inventado alegações infundadas, para justificar seu fracasso...

Anônimo disse...

Vagner Nogueira, você tem razão... Fiz prova em local sem ar-condicionado enquanto outros fizeram a prova sem sufoco... Em relação à prova, eu fiz a do tipo I e agradeço a Deus por não ter feito a do tipo II que realmente é muito desfavorável... O que é certo é certo... Fui prejudicado pela questão do ar e beneficiado pela questão da prova.... Ou seja, uma verdade bagunça!!!

Anônimo disse...

Qto ao ar condicionado, eu concordo! Em todas as salas deveria ter ar. Caso essa condição não fosse alcançada, então todas ficariam apenas com ventilador, em iguais condições.

edileno disse...

Prezados colegas, sou de acordo de nós entrarmos com uma ação na justiça pedindo a realização de outra prova. realmente os candidatos que realizaram prova na escola lauro sodre, proximo a vila militar da aeronautica, sofreram com a falta de infraestrutura das salas sem ar condicionado, e extremamente quentes, parecia um estágio para o inferno. além disso não havia fiscais na entrada dos banheiros. isso tudo prejudica candidatos, pois em algumas escolas tinha ar condicionado para conforto dos candidatos, entre outros. não pude participar da reunião ora apresentada, pois não resido na cidade de belém contudo, caso os representantes concordem criem emal ou site para outros candidatos do brasil, que prestaram concurso, possam aderir a essa justa revindicação.

Anônimo disse...

Eu sou de Santa Catarina e fiz a prova no Colégio Lauro Sodré, um calor do cão, pela manha o sol ferveu a sala.
IGUALDADE.??? Onde! O desgaste físico de um candidato com calor, já é uma forma de eliminação! Afinal outros candidatos estavam em salas climatizadas!
Concordo com Colega Vagner Nogueira.

Anônimo disse...

Concordo com o colega Vagner Nogueira.
Realizei a prova no Colégio Lauro Sodré, no domingo pela manha o sol ferveu a sala, sem ar condicionado, o desgaste físico dos candidatos que ali estavam já começaram a ser eliminados. IGUALDADE.??? Onde houve igualdade? Observei que os candidatos de minha sala eram a maioria ou totalmente de outros estados.
Nós do Sul , com aquele calor do inferno, era pra nos prejudicar mesmo né?
Espero que seja apurado os fatos e que se houve fraude seja anulado mesmo esse concurso!

Anônimo disse...

Eu fiz a prova no Lauro Sodré, fiz no calor do cão, no domingo tinha uma gritaria louca na quadra lá desse local militar, minha prova era tipo 2 (rosa) e fiz 64% da prova. Vão estudar pro próximo que é melhor.

Anônimo disse...

A prova não tinha muito problema não, faltou organização, os candidatos na sala em que fiz, conversaram entre si, chegou a um início de debate sobre uma questão com problemas nas assertivas - a banca não tem experiência nenhuma com concurso -, teve gente que dormiu, o calor isso nem se conta, lá em Redenção-PA, sem ar nem ventilador. A prova era muito mal formulada, o negócio era visível, grosseiro, a prova não era difícil, era confusa, de tão mal elaborada tornou-se confusa a um nível impressionante. Tenho todas as dúvidas do mundo sobre gente beneficiada, vindo de onde vem, não é surpresa alguma, Governo do Pará, UEPA, Sefa....... a confiança da População do Pará e de pessoas de outros estados que aí tem negócios, já não existem a tempos em duas dessas instituições. Mais vamos lá, desistir não, vamos à justiça, talvez neste último a contaminação, não chegou a níveis tão absurdos.

Anônimo disse...

Lamentável terem escolhido a UEPA como organizadora (ou seria desorganizadora?).

Anônimo disse...

Já foram feitas denuncias para Ouvidoria do MPE, porém eles não conseguem resolver sobre o concurso da SEFA, onde muitos BARBALHOS, JATENES,FAMÍLIA DO SR. NILO NORONHA(SECRETARIO ADJUNTO DA SEFA), MULHER DO SECRETARIO DA FAZENDA, IRMÃOS E FILHOS DO REITOR DA UEPA(SIMÕES QUARESMA), THOR FLEXA RIBEIRO PIRES DIRETOR PRESIDENTE DO PRODEPA, HERALDO CANIZO PEREIRA- PROFESSOR E DONO DO COLÉGIO UNIVERSO,estas pessoas preferiram a facilidade de terem o gabarito do que estudarem há 1 ano para ralar e passar no nível absurdo do concurso da UEPA.

Anônimo disse...

Certas pessoas podem ter estudado mesmo, mais o estranho e o fato da ligação direta com o PSDB. Daniel Pegado ex-vereador de Belém , filho da ex-deputada do PSDB Suleima Pegado aprovado para Auditor, Daniel Cal ex-candidato a vereador de ananindeua pelo PSDB e irmão ou primo do Auditor e Diretor de Fiscalização da SEFA Célio Cal aprovado para Fiscal.

Anônimo disse...

Tem parentada de + gente que está sendo esquecido de ser mencionada

Anônimo disse...

Ai gente, tem que anular!! Mudar de banca isso sim, a UEPA não tem condições de realizar um concurso desse nível pelo amor de Deus.